o amor na caixinha

o amor entrou na caixinha:

o presente era luz de raros amanheceres /  floresceu raízes nos seus fundos breus / ramificou abraços imensos /sombrios meus / desbotou sangue / fluidos coloridos de tesão tardia / não cabia com a tampa / não houve frete combinado / os preços não coincidiam / os reclamos eram de uma incrível simpatia / que não cabiam na caixinha do amor / com ou sem a colorida tampa / o amor não se vendia / fez raízes no meus fundos credos / numa deliciosa ceia de corpos / e bebidas de deleite goze / não arrependido do ocaso fim / peguei somente a caixinha / que o amor faz frutos do sol da manhã / e desta garoa repentina.

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s