outro fim dos mares

Esperei, ainda em vida, o tempo daquele silêncio

Na beira da estrada, o que seria de mim

Assim, na espera alargada

Os pássaros ausentes do último verão

Voltaram para silenciar minha dor

Tocava uma música

Trinos de uns rios que nunca escutei

Mas que eram fortes e fundos,

Reais demais

Molhados demais

Estranhos demais

Agarrei o silêncio e pus pra dançar

Na beira do rio, ausência de mim,

Mas aquilo era um mar que estava pro vir

Assim, o silêncio estragou

Eram gritos de guerra

Anúncios de paz – e liquidação,

Eram trinos dos pássaros que iriam logo voar

Voando demais

Distantes demais

Ausência demais

Agarrei os pássaros e pus eles para dançar

Na beira do trino, tristezas de mim

Mas aquilo era a morte que estava por vir

Assim, a morte anunciou

Era a voz do silêncio

Cuspidas de amor – e traição,

Era o fim dos finais,o mar que acabou.

 

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s