História de nos

“Soy un perdedor. I’m a loser baby, so why don’t you kill me?” Beck

Somos o que decidimos ser. Dentre o contexto. Situações e conversões. Caminhos divididos, em fractal.

Somos, e assim deixamos de sermos outros tantos, desconhecidos. Outros dentro de nos, porém preteridos ao invés do que somos.

O caminho às vezes contenta. A história bruscamente tornasse avesso.

No meio do caos de nossos medos e anseios, o sucesso cobra caro do ímpeto e a dedicação. O fracasso faz poesia do triste e a decepção. Assim, é apenas a existência.

Somos, entretanto, também as nuances, e refeitos no espelho dos olhos daqueles. Prefixos do espalhado, dos outros seres ao redor. Entre todos, descobrimos a guerra interminável do dia-a-dia. Cotidianos noturnos de sonhos perdidos.

Desandamos um caminho, agreste e solitário, comum a toda humanidade. Ninguém vive mais do que ninguém.

Somos história apenas de nos.

Milton diz – Eu apenas de mim. Vivendo e narrando: existir.

Anuncios

2 pensamientos en “História de nos

  1. muy bueno cabrón!
    “Somos, entretanto, também as nuances, e refeitos no espelho dos olhos daqueles. Prefixos do espalhado, dos outros seres ao redor.” – Grande Miltão!

    Me gusta

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s