Milton, night biker

Milton pedala entre as fileiras de carros parados. Assobia uma música do Fito Paez. Fito é uma espécie de alter-ego junkie do próprio Milton. Ou seja, o Fito é a autodestruição romântica de mim mesmo.

Canta Fito, canta Milton, canto yo“me gusta estar al lado del camino, fumando el humo mientras todo pasa”.

Adoro essa música e o Milton, simplesmente ama. Mas só o Fito consegue desafinar nos momentos justos.

Ele flui dentre o apertado espaço metálico, aquela ramificação mecânica dos humanos, sobre rodas. Meia tonelada de ego pregado, fios condutores rubro-negros, luzinhas, pneus e espelhos retrovisores. As vezes, pouquíssimas, alguma daquelas músicas atravessam o caminho enquanto passa, lhe agradam.

Eu já lhe adverti do perigo. Não há percepção que o salve de um assalto de fúria daquela raiva encurralada: homo sapiens 4×4 flex com direção hidráulica.

“Tomar no cú, seu filho da puta” dispara contra o vidro fosco, sem reflexo nem motivos. É assim que sobrevivemos.

Entretanto, não têm cadeado para a magrela, a parada é mesmo ficar de olho sempre. E beber muita agua quando seja possível.

Chegando a casa, ele suspira profundo. Sob o céu aberto de fim de setembro, a lua espia. Não há duas sombras para quem é vivo.

Anuncios

2 pensamientos en “Milton, night biker

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s